Propostas do G15 aprovadas em assembleia geral da Liga

Porto /
29 Dez 2017 / 21:16 H.

As alterações aos regulamentos da Liga Portuguesa de Futebol Profissional propostas pelo G15, grupo de clubes do primeiro escalão sem incluir os três ‘grandes’, foram hoje aprovadas em Assembleia Geral (AG).

Mário Costa, presidente da AG, anunciou no final da reunião magna realizada na sede do organismo, no Porto, que as alterações “só têm aplicabilidade na próxima época desportiva” e detalhou em seguida as mudanças votadas na ausência de FC Porto e Sporting, que abandonaram a reunião argumentando que as propostas por si apresentadas não foram admitidas.

“Foi votada e aprovada uma alteração ao condicionamento dos sorteios. A única condicionante que vai existir é geográfica e a nível de segurança, nomeadamente, se estiver em questão, Benfica e Sporting não podem jogar em casa na mesma jornada, FC Porto e Boavista a mesma coisa e, por questões de segurança, Vitória de Guimarães e Braga também não podem jogar em casa na mesma jornada, por questão de forças policiais disponíveis”, apontou.

Mário Costa explicou ainda que, relativamente ao vidoárbitro, “foi aprovada uma proposta segundo a qual todos os jogos que se realizem no mesmo estádio têm de ter o mesmo número de câmaras televisivas disponíveis”, pelo que, “será feito o levantamento, no início da época, pela Liga”.

Outra das propostas apresentada tem a ver com o regime de cedências temporárias de jogadores, tendo ficado definido “que os clubes do mesmo campeonato só podem emprestar, no máximo, seis jogadores, e um por clube”.

Em relação às taxas de transmissão televisivas, os clubes da II Liga, que pagavam 750 euros, passam a ficar isentos, e os da I Liga passam a pagar tendo em conta os rendimentos operacionais, em vez dos 2.500 euros fixos.

Finalmente, Mário Costa esclareceu a alteração ao Regulamento Disciplinar e no qual foi aprovada um agravamento das penas de suspensão de dirigentes.

“A partir de três suspensões na mesma época desportiva, deixam de poder estar presentes nos estádios onde a equipa jogue na qualidade de visitado ou visitante. Também houve agravamento das sanções por comentários que se possam fazer às arbitragens antes do jogo. Foi agravada a moldura penal, alterado o limite máximo”, anunciou ainda.

Mário Costa esclareceu que FC Porto e Sporting também apresentaram propostas, mas estas acabaram por ser chumbadas.

“Havia três propostas, uma do grupo que pediu a convocação da assembleia, outra do Sporting e outra do FC Porto. A primeira coisa que se faz, numa assembleia geral extraordinária, e por voto secreto, é votar a proposta na generalidade. As propostas do FC Porto e do Sporting foram chumbadas e a do grupo foi aprovada”, começou por explicar o presidente da mesa da AG.

“Relativamente ao segundo ponto, segue a mesma lógica: a proposta do FC Porto foi chumbada, a do Sporting não foi sequer a votação, por ausência do Sporting da sala, não se podia defender, e foi votada favoravelmente, na generalidade, a proposta do grupo que convocou a assembleia geral extraordinária”, completou.

Outras Notícias