Organização Mundial de Saúde regista redução de casos de peste em Madagáscar

07 Nov 2017 / 15:10 H.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) registou uma redução de casos de peste bubónica e pneumónica em Madagáscar, doença que assola aquele país africano desde o verão.

Entre 01 de agosto e 02 de novembro, 1.947 pessoas foram diagnosticadas com peste, tendo sido registados 143 óbitos, na maioria provocados por problemas pulmonares.

Na sequência dos esforços da ONU e do Ministério da Saúde daquele país africano, 27 pessoas encontravam-se hospitalizadas a 06 de novembro, em comparação com as 106 em finais de outubro e as 278 em meados desse mesmo mês, revelou o porta-voz da OMS, Fadela Chaib.

O número de casos novos desceu igualmente durante a semana de 30 de outubro a 03 de novembro, com apenas 41 registos e somente três mortes.

“Este decréscimo em casos novos é animador e mostra que os passos rápidos dados em apoio ao Governo de Madagáscar para travar a doença foram eficazes. Contudo, devemos permanecer vigilantes e não podemos descartar a possibilidade de a situação inverter até que cheguemos ao final da época normal de peste, em abril de 2018”, explicou Chaib.

A peste é endémica em Madagáscar e quase todos os anos são detetados cerca de 600 casos durante a temporada, entre setembro e abril.

A OMS formou 4.400 pessoas para lutar contra a peste em Madagáscar e, desde que começou a formação até 06 de novembro, as equipas seguiram mais de 6.908 pessoas que tinham contacto com outras que tinham contraído a peste.

Cerca de 88% desse universo (6.066 casos) realizou uma fase de seguimento de sete dias e um tratamento de profilaxia antibiótica.

Para dar resposta à peste, a OMS necessita de 3,4 milhões de euros, assinalou Chaib.

Outras Notícias