“Não merecemos que alguns políticos continuem a bater no desporto”, disse Carlos Pereira

31 Out 2017 / 22:07 H.

Carlos Pereira tomou hoje posse como presidente do Marítimo para mais quatro anos e garantiu que pretende continuar a ver o clube no caminho do progresso.

Na tomada de posse dos órgãos sociais, na tribuna presidencial do Estádio do Marítimo e com a presença do treinador Daniel Ramos, o discurso de Carlos Pereira, reeleito para um sexto mandato, em 24 de Outubro, lembrou os 20 anos passados à frente do clube.

Antes disso, falou nas dificuldades financeiras que viveu quando fazia parte da formação e do departamento de futebol.

De acordo com o dirigente, a remodelação do antigo Estádio dos Barreiros mereceu grande atenção, pois enquanto estava em obras, era chamado de “reles estaleiro”, e frisou que quis ter tudo concluído em 2010, no ano do centenário, o que não aconteceu, garantindo que não foi por sua culpa ou do clube.

Carlos Pereira destacou também o último ano, com a inauguração da nova bancada central no dia em que o Marítimo venceu o Benfica, em dezembro de 2016, e ainda o regresso da selecção portuguesa à Madeira, num jogo com a Suécia em março de 2017.

Os olhos estão agora virados para o futuro e, como tal, Carlos Pereira voltou a apontar as atenções para os associados.

“Os sócios apoiam sempre esta direcção, esta equipa e este clube. Queremos continuar a crescer e continuamos a acreditar nas pessoas e no governo regional”, referiu, abordando os pilares do clube, como a frontalidade e o empreendedorismo, destacando que o familiar é o mais importante.

O presidente do clube deixou ainda alguns recados aos membros da Assembleia Legislativa madeirense.

“Na política regional, não conheço nenhum campeão nacional ou internacional. Não merecemos que alguns políticos continuem a bater no desporto”, afirmou, antes de deixar um “bem-haja” ao Marítimo, “um dos grandes do futebol nacional”.

Já Jorge Carvalho, que representou o governo regional madeirense na tomada de posse, deixou elogios a Carlos Pereira, a quem apelidou de “dirigente irrequieto”, e também promessas.

“Há que salientar a sua dedicação de forma voluntária em causa do desporto e do Marítimo. O governo regional vai continuar a cumprir os compromissos e a apoiar o Marítimo, uma marca do desporto madeirense”, disse o Secretário regional da Educação.

Por fim, Luís Miguel Sousa, presidente da assembleia geral, incentivou Carlos Pereira a “manter a força de vontade e entrega” e realçou a grandeza do emblema ‘verde rubro’.

“Somos a maior associação insular e uma das maiores do país. Temos um grande contributo para a economia madeirense e não abdicamos das nossas responsabilidades, que continuam a ser muitas e grandes”, salientou.

Outras Notícias