Casillas admite que gostaria de jogar em Itália e vê Cristiano a ganhar a Bola de Ouro

Madrid /
30 Mai 2017 / 11:14 H.

O guarda-redes espanhol Iker Casillas, do FC Porto, admitiu que gostaria de jogar na Série A Italiana de futebol, com grandes equipas e num campeonato em que teria a possibilidade de defrontar Buffon.

“Seria uma ótima opção. Há grandes equipas, o futebol é importante, gosto do país. Sim, gostaria de jogar em Itália e, além disso, que bom seria defrontar mais duas vezes Buffon, seria maravilhoso”, disse Casillas.

O guarda-redes, de 36 anos, que está há duas temporadas no FC Porto, ainda tem o futuro por definir e em entrevista à Gazetta dello Sport, quando questionado se gostaria de alinhar na Série A deixou a porta ‘em aberto’.

Casillas começou a conversa com elogios a Buffon, histórico guarda-redes italiano da Juventus, que o espanhol defrontou esta temporada, na Liga dos Campeões pelo FC Porto, e que estará na final de sábado da ‘Champions’.

Na conversa, o guarda-redes do FC Porto considerou que gostava de ver o italiano Gianluigi Buffon, seu amigo, ganhar a Liga dos Campeões de futebol, mas apenas se o rival não fosse o Real Madrid.

“Se o rival não fosse o Real Madrid, desejava de todo o coração que Buffon ganhasse, ele merece. É óbvio que vou torcer pelo Real Madrid, mas o trajeto desportivo de Buffon não deveria terminar sem uma Liga dos Campeões”, justificou Casillas.

O guardião portista desejou ainda que Sergio Ramos ganhasse a Bola de Ouro, embora considere que o troféu deva ser uma vez mais ganho pelo português Cristiano Ronaldo, também ‘merengue’.

“Oxalá Ramos possa ganhar, mas penso que será novamente de Cristiano Ronaldo, sobretudo se o Real Madrid vencer a Liga dos Campeões [no sábado na final em Cardiff frente à Juventus]”, referiu o guarda-redes espanhol.

Ainda em relação a Cristiano Ronaldo, o antigo guarda-redes do Real considera que o jogador continua numa forma excelente, apesar dos 32 anos.

“Vejo-o muito bem, menos musculado do que antes, perdeu peso a nível muscular e isso vê-se bem. Tem 32 anos, mas vive com um grande profissionalismo. Com o tempo aprendeu a gerir energias”, considerou o espanhol.

Na mesma tónica, Casillas lembrou o tempo em que partilhava o balneário com o internacional português e as ambições que este tinha.

“Tinha tantas ambições que não compreendia a ideia de descansar, apesar dos conselhos do plantel”, lembrou.

Em relação à final de sábado, o guarda-redes do FC Porto, clube para o qual se transferiu há duas épocas após sair de Madrid, pensa que será um jogo muito equilibrado, mas deixou elogios à equipa italiana.

“A Juventus sempre foi muito boa defensivamente, mas agora também o é ofensivamente. Com Higuaín, Dybala e Mandzukic tem um ataque perigoso. Também o Real é bom, com um grande Cristiano, mas não é impecável na defesa”, admitiu.

A finalizar, o jogador também reconheceu que ainda tem esperança de voltar à seleção espanhola, com a qual foi campeão mundial (2010) e duas vezes campeão europeu (2008 e 2012), num momento em que tem estado de fora.

Casillas deixou claro que não deixou a seleção e que gostaria de fazer parte das escolhas de Julen Lopetegui, que foi seu técnico no FC Porto, na próxima convocatória.

Outras Notícias