Carlos Pereira lança farpa ao Nacional e diz que “o Marítimo só gasta aquilo que pode”

20 Jul 2018 / 10:53 H.

Estalou o verniz entre Marítimo e Nacional, depois de Ibrahim Alhassan ter trocado os Barreiros pela Choupana durante este defeso. O médio africano foi dado como reforço verde-rubro para a nova temporada, mas exigências de última hora fizeram abortar o negócio e eis que as portas alvinegras se abriram para o jogador de 21 anos.

Quem já comentou a movimentação foi o presidente do Marítimo, Carlos Pereira. Em declarações ao DIÁRIO, o líder verde-rubro foi categórico. “É muito fácil... quem tem dinheiro a mais pode ir gastando. O Marítimo só gasta aquilo que pode. Não cedemos a chantagens nem aceitamos que as regras sejam alteradas a meio do jogo, e por isso o atleta foi dispensado”, mencionou o dirigente.

“Que seja feliz e tenha muitos filhos... A experiência do passado diz-nos que não podemos cometer loucuras. Alguns cometem e depois acabam por descer. Ele pode ir para onde quiser... Aqui só faz falta quem cá está. Não me incomoda que vá jogar para o Nacional. Se alteram as regras do jogo ainda no período experimental, o que não seria no futuro”, atirou.

Outras Notícias