Bruno Magalhães pode tornar-se campeão europeu de ralis

03 Out 2017 / 16:34 H.

O piloto português Bruno Magalhães pode tornar-se este fim de semana campeão europeu de ralis na Letónia, apesar de estar em segundo lugar e partir para a última prova em desvantagem pontual.

O Rali da Letónia disputa-se entre 6 a 8 de Outubro, com Bruno Magalhães e o polaco Kajetan Kajetanowicz a lutarem pelo título, sendo que o piloto português, para o alcançar, terá de recuperar 24 pontos de atraso para o bicampeão europeu.

Se Kajetanowicz conseguir ser campeão europeu será o primeiro piloto a alcançar o feito três vezes consecutivas, se for Bruno Magalhães, sê-lo-á pela primeira vez, juntando-se Miguel Campos, campeão em 2003, e a Rui Madeira e Armindo Araújo, campeões do mundo de Grupo N no WRC.

A prova realiza-se na região de Kurzeme, e espera-se uma grande luta pela vitória, num rali em que o piloto polaco nunca foi muito feliz nas suas três participações, tendo dois quartos lugares e uma desistência, já Bruno Magalhães vai pela primeira vez participar no rali de terra.

Todavia, a desvantagem pontual não esmorece Bruno Magalhães, que encara esta última prova do Campeonato da Europa de Ralis com otimismo e a confiança de quem atingiu esta fase da derradeira da competição em condições de se tornar campeão europeu.

“Quando fiz a primeira prova da época, nos Açores, estava longe de imaginar este maravilhoso percurso que temos vindo a fazer. Ter a oportunidade de fazer a época completa e de ter conseguido deixar para o último rali a decisão do título é algo espectacular. O título de vice-campeão já tem sabor a vitória e já é um enorme orgulho dadas as condições em que fizemos toda a época. Por isso, a pressão não está do nosso lado, vamos fazer o nosso trabalho e esperar para ver”, disse Bruno Magalhães, que espera uma última prova dura e exigente.

Sobre as dificuldades do percurso, o piloto português, que já se encontra na Letónia, salienta os “troços muito rápidos e sob condições atmosféricas adversas, como a chuva”, atribui favoritismo aos pilotos locais, mas admite que “tudo pode acontecer”.

Tópicos

Outras Notícias