Boavista precisa de “identidade forte” para vencer o Sporting de Braga

02 Jan 2018 / 16:47 H.

O treinador do Boavista disse esta terça-feira que a sua equipa treinou “duro” para lutar pela vitória frente ao Sporting de Braga, na quarta-feira, na 16.ª jornada da I Liga de futebol, precisando para tal de uma “identidade forte”.

Jorge Simão iniciou a antevisão do embate caseiro com os bracarenses com o facto de o Boavista estar sem competir desde o dia 15 de dezembro, quando bateu fora o Paços de Ferreira (1-2), em jogo da 15.ª ronda: “Preparamo-nos da melhor forma para o jogo seguinte que é o de amanhã [quarta-feira]. Não jogamos há algum tempo, mas mantemo-nos no activo, a treinar duro”, enfatizou, acrescentando que “a forma física da equipa, se não melhorou, manteve-se”.

O Sporting de Braga, que nesta pausa do campeonato esteve envolvido na Taça da Liga, prova da qual foi afastado, ganhou pela última vez fora em 23 de outubro (0-1, com o Moreirense), mas Jorge Simão desvalorizou: “É um facto, mas o que consigo retirar daí é nada” disse, justificando ser “um erro crasso” pensar-se que o jogo com o Sporting de Braga será mais fácil por isso.

Jorge Simão preferiu destacar que “o Braga é a mesma equipa que joga em casa e fora, os jogadores são os mesmos e as ideias, na generalidade, são as mesmas”.

O treinador afirmou contar com “uma equipa que tem progressivamente tentado encostar-se ao topo da tabela classificativa e que este ano reforçou o seu orçamento, tem jogadores que conseguiu recrutar em muitas outras equipas da I Liga e que está por mérito na posição em que está e que quer consolidar”.

O técnico axadrezado salientou depois que o Boavista tem de consolidar a imagem transmitida recentemente, “associando-a aos bons resultados”.

“Em primeira instância, preparamo-nos para ganhar o jogo, mas o caminho que teremos obrigatoriamente de fazer para tal tem de ser demonstrativo dessa identidade forte que queremos solidificar neste clube”, explicou.

Jorge Simão disse ainda que os objectivos do Boavista para esta época - igualar o nono lugar obtido na época anterior ou melhorar ligeiramente - mantêm-se pelo menos até serem alcançados, apesar de a equipa ocupar o oitavo lugar, com 20 pontos, quando restam ainda duas rondas para o fim da primeira volta do campeonato.

“Enquanto não se atingirem, é impensável tocar neles. Se os conseguirmos atingir, aí logo se verá”, resumiu.

O mercado reabriu este mês e Jorge Simão disse que “o fundamental”, na perspectiva boavisteira, é “não perder nenhum jogador, principalmente aqueles que têm sido mais utilizados”, recuperar os que têm estado lesionados e estar atento ao que se passa.

Jorge Simão admitiu que também gostava de reforçar a sua equipa, mas que não consegue dizer “se há essa possibilidade”.

Para o jogo com os bracarenses, o Boavista não poderá contar com o médio e capitão Idris, o único jogador utilizado nos 15 jogos do campeonato e sempre a titular, o defesa direito Edu Machado e os atacantes Renato Santos, Yusupha Njie e Iván Bulos, todos lesionados.

O Boavista, 8.º classificado, com 20 pontos, recebe na quarta-feira, às 18:15, o Sporting de Braga, 4.º, com 31, em jogo da 16.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol

Outras Notícias