Alunos de desporto saúdam contagem de nota de Educação Física

28 Out 2016 / 14:09 H.

A Associação de Estudantes de Desporto saudou hoje a decisão de voltar a contabilizar a nota de Educação Física na média de acesso ao Ensino Superior, pedindo agora à tutela mais aulas de desporto.

O anúncio do regresso da validade da nota de Educação Física foi anunciado no final da semana passada pelo secretário de Estado da Educação, João Costa, estando neste momento o Ministério da Educação (ME) a estudar o dossier que prevê que a medida entre em vigor de forma faseada: no primeiro ano só para os alunos do 10.º ano, depois também para os do 11.º e finalmente para todos os alunos do ensino secundário.

O vice-presidente da Associação Nacional de Estudantes de Desporto (ANED), Rui Lacerda Magalhães, saudou hoje a decisão do ME e espera que a tutela aumente o número de horas de aulas de Educação Física.

“Falta agora recuperar as horas lectivas que foram retiradas, e continuar a combater por uma posição central no currículo de todos os níveis de Ensino, aliando o reconhecimento generalizado e amplamente aceite da literatura científica e pedagógica às práticas lectivas”, diz Rui Lacerda Magalhães, em comunicado enviado para a Agência Lusa.

A disciplina deixou de contar para a ponderação da média final de conclusão do Ensino Secundário, nomeadamente no acesso ao ensino superior média do secundário, em 2012.

“Passados 4 anos e discutidos vezes sem contas os moldes de gestão da carga lectiva, validade dos conteúdos programáticos e qualidade pedagógica da formação do ensino secundária, foi finalmente anunciado o feliz retrocesso da decisão”, recordou hoje Rui Lacerda Magalhães.

A ANED volta a lembrar a importância do ensino da educação física como “fundamental para a formação holística dos alunos de todos os ciclos de estudos”, sendo por isso importante que a disciplina tenha peso na ponderação do cálculo da média final de acesso ao ensino superior.

“É amplamente reconhecido o valor da educação por via do Desporto, sendo irrefutável o valor da extensa literatura científica nacional e internacional. A presente medida contribuirá para a realização pessoal dos profissionais da área, fazendo a presente unidade curricular sair da área cinzenta em que se encontrava há já demasiado tempo”, sublinha Rui Lacerda Magalhães.

Tópicos

Outras Notícias