AD Camacha invoca “incumprimento contratual” e termina parceria com Maniche

16 Abr 2018 / 16:39 H.

A AD Camacha vive um dos momentos mais delicados da sua história recente, com a descida à Divisão de Honra. Tal situação motivou a reacção dos responsáveis do emblema madeirense, num comunicado enviado hoje às redacções, assinado pelo presidente da direcção, Celso Almeida. Nessa nota, a AD Camacha informa que invocou “incumprimento contratual” para colocar ponto final na parceria com Maniche, estabelecida em Agosto de 2017, ainda antes da constituição da Sociedade Anónima Desportiva (SAD): “A verdade, porém, é que os compromissos assumidos publicamente com a Associação Desportiva da Camacha não foram integralmente cumpridos, num percurso de grande instabilidade e ausência que, para além do mais, prejudicou decisivamente o desempenho desportivo, dando lugar a uma inédita descida de divisão da equipa de futebol sénior que há mais anos permanecia neste patamar do futebol português”.

Celso Almeida lembra que a ideia inicial da parceria com Maniche não foi cumprida pelo antigo internacional português: “A celebração de contrato que, ainda antes da constituição de uma Sociedade Anónima Desportiva (SAD), permitia a entrada de novo parceiro, português, figura do futebol nacional e internacional, que manifestava preocupações sociais e se apresentava com disponibilidade para a gestão desportiva e investimento financeiro, para respeitar a grandeza da instituição, os seus activos humanos, a sua verdadeira história e a da terra onde pela primeira vez se jogou futebol em Portugal”.

“A situação tornou-se de tal modo insustentável que a Associação Desportiva da Camacha, formalmente, invocou, expressamente, o incumprimento contratual, optando por não tornar pública essa decisão apenas para proteger a equipa de futebol sénior, evitando que se agravasse o ambiente de instabilidade”, acrescenta o comunicado divulgado hoje, um dia após ter sido consumada a despromoção do Campeonato de Portugal.

Celso Almeida e restante direcção deixa, também, uma palavra aos sócios, adeptos e simpatizantes do clube madeirense: “Neste momento, um dos mais tristes da história da Associação Desportiva da Camacha, a Direcção dirige-se a todos os sócios e simpatizantes para dizer que agora é tempo de reflectir e pensar o futuro, num processo em que todos aqueles que vivem a instituição, a freguesia e o concelho, terão de se envolver, tudo isto sem nunca deixar de responsabilizar aqueles que, não honrando compromissos assumidos e contratos celebrados, contribuíram decisivamente para um dos piores e mais dolorosos episódios da nossa história”.