Homem assistido por EMIR no Funchal acabou por morrer

13 Fev 2018 / 23:38 H.

Morreu o homem que, na tarde desta terça-feira, foi acometido por doença súbita próximo da rotunda da Avenida Arriaga, no Funchal.

Ao que o DIÁRIO apurou, o homem vivia na Ponta do Sol, mas trabalhava numa ourivesaria na Ribeira Brava.

No Facebook já há mensagens com homenagens ao conhecido ourives da Ribeira Brava que se tinha deslocado ao Funchal para, alegadamente, assistir ao cortejo trapalhão.

Durante a tarde, a situação provocou agitação na baixa funchalense e para o local foram accionados meios de socorro, entre os quais os Bombeiros Sapadores do Funchal e uma Equipa de Intervenção Médica que esteve a aplicar o suporte avançado de vida à vítima que estaria em paragem cardio-respiratória.

Apesar da rapidez dos meios de socorro e, de acordo com funcionários da estação de serviço que fica em frente à ourivesaria da Ribeira Brava, o homem acabou por não resistir.