Bebé morre no ventre da mãe à espera de obstetra em hospital

Mulher em trabalho de parto esperou hora e meia por médico. Quando este apareceu era tarde de mais

Guarda /
17 Fev 2017 / 11:20 H.

A administração da Unidade de Saúde Local da Guarda abriu um processo de averiguações para apurar responsabilidades no caso da morte de uma bebé por alegada falta de assistência médica, depois de a mãe ali ter chegado em trabalho de parto, avança hoje o Jornal de Notícias.

De acordo com esta publicação, a mulher, de 39 anos, tinha cesariana agendada para dia 27, mas na quinta-feira de manhã, com 37 semanas de gestação, foi ao serviço de obstetrícia daquela unidade de saúde devido a perdas de sangue. Acabou por entrar em trabalho de parto, mas o médico só recebeu à emergência hora e meia depois de ter sido chamado, quando já nada havia a fazer pela bebé.

A direcção clínica da Unidade de Saúde da Guarda disse ao JN que só comentará o caso depois de receber relatório preliminar da directora de serviço e do departamento de saúde materno-infantil. Entretanto, abriu um processo de averiguações.

Tópicos

Outras Notícias