Morreu Mort Walker, cartoonista que criou o ‘Recruta Zero’

EUA /
28 Jan 2018 / 10:32 H.

O cartoonista norte-americano Mort Walker, um veterano da Segunda Guerra Mundial que satirizou o exército e fez rir milhões de leitores de jornais com as aventuras do preguiçoso “Recruta Zero”, morreu no sábado, aos 94 anos.

Segundo o seu filho mais velho e seu colaborador, Greg Walker, o artista morreu em casa, em Stamford, no estado de Connecticut, devido à idade avançada.

Começou a publicar cartoons aos 11 anos e desenvolveu mais de meia dúzia de tiras cómicas ao longo da sua carreira, entre as quais “Hi and Lois”, “Boner’s Ark” e “Sam & Silo”, mas alcançou o seu maior êxito desenhando o baldas “Recruta Zero”, o seu sargento que fervia em pouca água e o resto da companhia no fictício Camp Swampy, durante quase 70 anos.

Mort Walker atribuiu o sucesso da tira cómica à indolência do soldado e à sua relutância em respeitar a autoridade.

“A maioria das pessoas é mais ou menos contra a autoridade, e o Recruta estava sempre a desafiar a autoridade. Acho que as pessoas se identificavam com ele”, disse o autor.

Os seus pares cartoonistas recordaram Walker, no sábado, como um homem amável que adorava os seus fãs.

Bill Morrison, presidente da Sociedade Nacional de Cartoonistas (SNC) norte-americana, descreveu-o como “a definição do cartoonista”, numa mensagem publicada na página da internet da associação.

“Ele viveu e respirou a arte todos os dias da sua vida. A sua falta será profundamente sentida pelos seus amigos da SNC e por todo um mundo de fãs de banda desenhada”, disse Morrison.

Em 1974, fundou o Museu Internacional da Arte do Cartoon, no Connecticut, para preservar e homenagear a arte da banda desenhada.

O museu mudou duas vezes de lugar antes de encerrar, em 2002, em Boca Raton, na Florida.

Walker alterou o nome para Museu Nacional do Cartoon e anunciou em 2005 planos para o instalar no Empire State Building, em Nova Iorque, mas no ano seguinte, o acordo para uso do espaço ficou sem efeito.

Em 2000, Mort Walker foi homenageado no Pentágono com a mais alta condecoração civil do Exército -- a medalha de Reconhecimento por Serviços Civis prestados -- pelo seu trabalho, o seu serviço militar e o seu contributo para um novo memorial militar.

Também ganhou a reputação de ajudar cartoonistas principiantes dando-lhes conselhos.

“Eu crio amigos para as pessoas”, explicava.

Addison Morton Walker nasceu a 03 de setembro de 1923, em El Dorado, no Kansas, e cresceu em Kansas City, no Missouri.

Em 1943, foi mobilizado para o exército dos Estados Unidos, tendo combatido na Europa durante a Segunda Guerra Mundial. Foi desmobilizado como primeiro-tenente, licenciou-se na Universidade de Missouri-Columbia e prosseguiu a sua carreira como cartoonista em Nova Iorque.

Nos últimos tempos, supervisionava o trabalho da equipa no seu estúdio em Stamford, chamado Comicana.

Outras Notícias